Notícias

Foto: Fernando Cássio

Dirigente do CAP comenta sobre despesas extras caso o futebol mineiro seja retomado

01/07/2020 às 11:57

Uma das preocupações da diretoria do Clube Atlético Patrocinense, quando o futebol mineiro for retomado, é com os gastos extras que a equipe terá com os exames do novo coronavírus. O gerente de futebol do CAP, Elson Vieira, o Kiko, entende que esta questão precisa ser discutida com a Federação Mineira de Futebol.

O dirigente espera que a entidade máxima do futebol mineiro possa auxiliar financeiramente os clubes do interior com esta despesa adicional. Já que o exame para detecção da Covid-19 faz parte do protocolo para retomada da competição.

O gerente de futebol, Kiko, estima que cada bateria de exames custe para o clube cerca de R$ 9 mil reais. E são feitas várias baterias antes, durante e depois do campeonato. Passam pelos exames atletas, comissão técnica e funcionários.

Além do gasto com exames, os times do interior ainda se preocupam com a possibilidade de sede única. Já que ficar em outra cidade, por um período maior, gera mais custos. O dirigente do Patrocinense comenta sobre estas situações.

“Vamos aguardar a manifestação da Federação em relação a estas despesas. Os clubes do interior já vão ter uma despesa alta com alimentação e salário. Então, que a Federação possa, em contrapartida, cobrir algumas despesas (com exames, viagens e hospedagem)”, enfatizou o gerente de futebol Kiko.

Informações com Christiano Romão e Filipe Ferreira/Difusora 95